Sou o que sou!

Minha foto
Sou assim, fazer o que! Injeção também não é bom mas cura!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Corrida maluca.




Quem não conhece o famoso desenho Corrida Maluca. Wacky Races (Corrida Maluca no Brasil e A Corrida Mais Louca do Mundo em Portugal) foi um desenho  produzido pela Hanna-Barbera e lançado pela CBS que foi produzido entre 14 de setembro de 1968 a 5 setembro de 1970, rendendo 34 episódios. Os competidores buscavam o título mundial de "Corredor Mais Louco do Mundo".

Pois é, nós os lageanos temos o “privilégio” de ver diariamente uma corrida maluca na Av. Belizário Ramos. A parte mais “emocionante” é da ponte da Papa João XXIII até a ponte da 7 setembro.

No ano de 2013 foram 191 acidentes nessa via, sendo que mais de 50 foram somente nesse pequeno trecho, com o agravante que foram os mais graves.

Faço uso da Belizário Ramos como todos os lageanos, mas me revolta, seja como cidadão ou como profissional da segurança pública ver a conduta de motoristas irresponsáveis, descuidados e até mau caráter, pois outro nome não pode se dar a quem conscientemente coloca a vida de outros em risco.

Usando de uma técnica simples, passei alguns minutos observando a passagem dos veículos e calculando a velocidade de alguns carros. Meu Deus! Parecem que perdem a noção de absurdo.

De repente eu vejo um Ford Fiesta vindo da Papa João XXIII, parecendo um bólido, e...vuuumm....passou. Calculei a velocidade utilizando uma técnica simples, que é marcar a distancia entre dois pontos e cronometrar o tempo que o veículo levou para percorrer.  Pasmem 130 por hora. Isso é coisa de louco. É de se pegar um cara desses e jogar num sanatório.

Segundos depois vem uma motocicleta, que nem é aquelas potentes e superbarulhentas, que incomodam as pessoas na rua, era apenas uma 150 cc com caroneiro. E vem os idiotas, e digo “os”, porque só um idiota pilota daquele jeito e outro idiota ficaria na garupa. Pois essa moto passa a cerca de 90 quilômetros por hora ziguezagueando entre os veículos.

Isso se repete dia a dia, hora a hora, e sempre resulta em um ou outro acidente  com lesões corporais e danos materiais.

Também vamos ponderar, que isso é em ambos os sentidos da avenida, e agravou-se com a retirada das lombadas eletrônicas, as quais espero que voltem logo a ser colocadas.

Os motoristas que cruzam a Belizário nas pontes, também são destaques nessa “Corrida Maluca”, pois é inexplicável como que uma pessoa, diante da circunstância da via, atravesse sem olhar para os lados e com máximo de segurança. A velocidade dos motoristas que sobem e descem a avenida contribui, mas um motorista atravessar a preferencial se olhar para os lados é porque deve ter comprado a  sua carteira de motorista.

Bom, para não ficar só na critica, vou apresentar algumas soluções. Primeiro deverá ser colocado radares móveis para flagrar esses motoristas irresponsáveis. Segundo, a colocação de controladores de velocidade (lombadas eletrônicas) em pontos realmente sensíveis e que desestimulem essas praticas.

São muitos Dick Vigaristas fazendo maluquices naquela avenida, mas algumas Penelopes Charmosas também aprontam das suas. Vamos nos conscientizar gente.

SOS Desaparecidos



POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA É A ÚNICA NO BRASIL A TER UMA EQUIPE EXCLUSIVA E ESPECIALIZADA EM DESAPARECIMENTOS

No Brasil existem somente duas delegacias especializadas e exclusivas em desaparecimentos (Minas Gerais e Paraná), sendo que somente em Santa Catarina existe este tipo de serviço, oportunizando as famílias vitimadas pelo desaparecimento, além da 1ª resposta, a divulgação, procura, prevenção e encaminhamento psicossocial dessas famílias.

O que é o Programa S.O.S Desaparecidos?

No Brasil são 200 mil desaparecimentos por ano sendo 40 mil de crianças e adolescentes. Todos os anos, em Santa Catarina, temos aproximadamente três mil registros de desaparecidos.
Diante disto, a Polícia Militar lançou no dia 24 de Outubro de 2013 o Programa S.O.S Desaparecidos, focado em missões de atendimento e resposta ao desaparecimento, priorizando as crianças e adolescentes.
O Programa ainda cria a Coordenadoria Estadual de Pessoas Desaparecidas, onde através de uma equipe, terá disponibilidade e exclusividade de dedicação na busca, divulgação e armazenamento de dados de desaparecidos.

Uma vez coletados os dados referentes às possíveis causas dos desaparecimentos, estaremos contribuindo para que esses dados mobilizem a sociedade, o governo e as universidades, visando a futuras pesquisas e programas de prevenção, com o objetivo de garantia e de defesa dos direitos do cidadão brasileiro priorizando as crianças e adolescentes.
Nesse sentido, o Programa S.O.S. DESAPARECIDOS, fortalece a política pública na área social, uma vez que participa na articulação e potencialização da rede de proteção da criança e do adolescente, despertando as parceiras de organizações governamentais e não governamentais, além de dar um grande suporte operacional para os desaparecimentos de adultos.

Dados estastísticos sobre desaparecimentos em Santa Catarina

Após um trabalho de pesquisa no Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP), verificamos que de janeiro de 2005 a outubro de 2011, Santa Catarina registrou 8017 casos, oficialmente registrados, de desaparecimento de Crianças e adolescentes, perfazendo 42,7% de todos os registros de desaparecimento no mesmo período. Nestes sete anos já foram registrados 18773 casos de desaparecimentos. Só em Florianópolis são 650 registros de crianças desaparecidas no mesmo período.

PORQUE O MOTOCICLISTA DEVE USAR VISEIRA OU ÓCULOS





As estatísticas apontam um aumento considerável no número de acidente envolvendo motocicletas (Me refero a todos os veículos motorizados de duas rodas), estando em torno de 70% dos totais de acidentes, e sua maioria absoluta ocorre dentro do perímetro urbano.
A situação está tão crítica que alguns hospitais estão reservando um numero considerável de leitos apenas para as vítimas de acidentes com motos.

Então, surgiu-me a ideia de tratar sobre o uso da viseira e do óculos de proteção, um fator especialmente importante e motivador de acidentes, que consequentemente resultam em ferimentos graves ou mortes, e que está sendo extremamente negligenciado pelos motociclistas, ao tempo que lembro que as medidas punitivas são severas para o caso. Acredito ser um tema interessante para reflexão.
Primeiro aponto a legislação. A previsão legal para a exigência da viseira devidamente posicionada é encontrada na Resolução 203/2006 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), em seu artigo 3º.

Artigo 3º - O condutor e o passageiro de motocicleta, motoneta, ciclomotor, triciclo motorizado e quadriciclo motorizado, para circular na via pública, deverão utilizar capacete com viseira, ou na ausência desta, óculos de proteção.
§ 1º Entende-se por óculos de proteção, aquele que permite ao usuário a utilização simultânea de óculos corretivos ou de sol.
§ 2º Fica proibido o uso de óculos de sol, óculos corretivos ou de segurança do trabalho (EPI) de forma singular, em substituição aos óculos de proteção de que trata este artigo.
§ 3º Quando o veículo estiver em circulação, a viseira ou óculos de proteção deverão estar posicionados de forma a dar proteção total aos olhos.
§ 4º No período noturno, é obrigatório o uso de viseira no padrão cristal.
§ 5º É proibida a aposição de película na viseira do capacete e nos óculos de proteção.

Resumindo, podemos entender da seguinte forma a mencionada Resolução:
  • O capacete deve estar devidamente fixado pela cinta jugular.
  • Deve ser certificado pelo INMETRO, contendo o selo de certificação na parte traseira ou etiqueta na parte interna.
  • Deve conter, nas partes dianteira, traseira e laterais, adesivos refletivos de pelo menos 18cm².
·       Deve conter viseira ou, na ausência delas, óculos de proteção. Entende-se por óculos de proteção aquele que permite a utilização simultânea de óculos corretivos ou de sol.
·       Deve possuir viseira cristal para tráfego noturno. Durante o dia é permitido viseiras escuras.
·       Não pode ser usado outro tipo de óculos de proteção, como óculos de sol, corretivos ou de segurança (EPI).
·       A viseira e os óculos de proteção devem estar posicionados adequadamente.
A Resolução 203/06 do CONTRAN sofreu alterações em seu texto original que não modificaram o estabelecido no artigo acima citado. A inobservância ao estabelecido na Resolução mencionada acarretará ao infrator sanções previstas no artigo 244 inciso I e II do CTB.

Artigo 244. Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor:

I - sem usar capacete de segurança com viseira ou óculos de proteção e vestuário de acordo com as normas e especificações aprovadas pelo CONTRAN;
II – transportando passageiro sem o capacete de segurança, na forma estabelecida no inciso anterior, ou fora do assento suplementar colocado atrás do condutor ou em carro lateral;
(…)
Infração – gravíssima;
Penalidade – multa e suspensão do direito de dirigir;
Medida administrativa – Recolhimento do documento de habilitação;
Quem conduzir o veículo sem viseira ou sem óculos de proteção comete uma infração gravíssima e terá o direito de dirigir suspenso, além de receber multa no valor de R$ 191,54.
Portanto, para o uso dos equipamentos que não possuem viseira é obrigatório o uso de óculos de proteção, que deve estar fixado no capacete para proteger os olhos. O uso de proteção impede que insetos, areia, pedras e água atinjam os olhos.
O reflexo de fechar os olhos quando algo atrapalha a visão é automático, e isso impede a segurança na condução da motocicleta e o choque pode, inclusive, deixar o motociclista cego.
Não cabe a argumentação de o condutor tem necessidade de óculos de grau, pois os óculos de proteção quanto o capacete com viseira, de acordo com as especificações, não impedem que o motociclista use óculos de grau ou de sol.
Ressalto também a proibição de conduzir motocicleta sem a viseira ou óculos de proteção se estende a viseira levantada ou mal posicionada, assim como o óculos de proteção. Este entendimento é cristalino e pacifico, ou seja, estar com a viseira levantada incorre na mesma infração de estar sem ela. O mesmo para os óculos de proteção que não forem nos padrões especificados ou estiverem mal posicionados.

TODOS SOMOS RESPONSÁVEIS POR UM TRÂNSITO SEGURO!

A Piracema



Piracema é o período entre (para Santa Catarina)  o dia 1º de outubro e se estenderá até o dia 31 de janeiro de 2014, quando os peixes sobem até as cabeceiras dos rios, nadando contra a correnteza para realizar a desova e a reprodução. Este fenômeno é considerado essencial para a preservação da piscosidade das águas dos rios e lagoas.

Todos os anos algumas espécies de pescado fazem esse longo percurso, vencendo os obstáculos naturais, como as corredeiras e cachoeiras, no intuito de perpetuar suas espécies. Eles têm de vencer também a pesca predatória, feita clandestinamente com armadilhas, redes, tarrafas, puças, e outros artifícios por pescadores e outras pessoas sem a devida preocupação com o futuro dos peixes. Durante a piracema fica proibida qualquer atividade de pesca profissional, inclusive o uso de redes, tarrafas, covos e outras armadilhas que aniquilam a vida nos rios. Os pescadores amadores somente poderão utilizar-se de caniço simples ou vara com molinete/carretilha, limitar a quantidade de peixes embarcados assim como obedecer rigorosamente o tamanho mínimo de captura.           
Para praticar a pesca amadora, será necessário (assim como em qualquer época do ano) a obtenção de licença de pesca, o que pode ser feito no Banco do Brasil, por exemplo, devendo ser realizada apenas em áreas represadas. O descumprimento destas condições sujeita o infrator a multa, detenção e processo perante a esfera federal.
Apesar do rigor da Lei, muitos pescadores ainda não entenderam a necessidade de respeitar a piracema e continuam praticando a pesca ilegalmente, juntando-se aos demais poluidores, predadores e trazendo por conseqüência a crescente falta de peixes a cada novo ano. Para o pescador consciente e que respeita não apenas a lei dos homens, mas principalmente a lei da natureza, este período é uma excelente oportunidade para praticar o pesque-e-solte em nossos rios. 
No período da piracema, há um intenso aumento da pesca dos cardumes que sobem os rios para a reprodução, o que pode interferir no equilíbrio biológico das espécies e, conseqüentemente, na formação de seus estoques. O IBAMA, então, regulamenta a atividade pesqueira através de portarias.
No período da Piracema não é permitido pescar:
- menos de 1.500 metros acima e abaixo de corredeiras, cachoeiras e barragens de reservatório de hidroelétricas;
- a menos de 500 metros de confluência de rios que desaguam no rio principal;
- com utilização de redes, tarrafas e espinhéis;
- com embarcações motorizadas.




Cleber de Souza Borges
Tenente Coronel PM.