Sou o que sou!

Minha foto
Sou assim, fazer o que! Injeção também não é bom mas cura!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

A SEGURANÇA PÚBLICA É UM PROBLEMA, MAS VOCÊ POSSUI A SOLUÇÃO - FILHOS




Todos nós sabemos que em muitos momentos há inúmeras razões para nos preocuparmos com a segurança de nossos filhos.  A violência faz parte de todas as culturas, porque faz parte da natureza humana, apesar de assumir formas diferentes em cada lugar.
Alguns dos riscos que as crianças correm são universais. Conhece-los, e a forma de preveni-los e enfrentá-los lhes dará instrumentos para garantir a segurança de seus filhos e a sua própria tranquilidade.

Algumas dicas ajudam a prevenção de modo geral, pela conduta positiva que trazem. Vejamos:

- Ouça com atenção. Por mais estranhas que possam ser, as confissões feitas pelas crianças devem ser ouvidas. Tente perceber o que é ou não coerente, mas fique atento a qualquer conversa fora do normal.

- Ensine-os a rejeitar determinado tipo de comportamentos. Os pais devem ensinar os filhos a ter determinado tipo de comportamentos, nomeadamente não aceitar falar com estranhos, recusar beijar, abraçar ou sentar no colo de desconhecidos ou permitir atos de intimidade, mesmo que seja com familiares.

- Ensine-os a dizer "não, obrigado".  Aconselhe as crianças e os jovens a recusarem entrar em automóveis desconhecidos (independentemente do pretexto), a não aceitarem guloseimas ou dinheiro oferecidos por desconhecidos.

 - Atenção aos atos de violência. Os pais devem estar atentos ao padrão de comportamento dos seus filhos. Atitudes como maior isolamento, agressividade, baixo rendimento escolar devem ser conversadas com os filhos. A ajuda de um psicólogo pode ser elementar.

-Se necessário, tome medidas. Se forem confrontados com denúncias graves, os pais têm o dever de avisar de imediato as autoridades e formalizar uma queixa-crime. Só assim se poderá abrir uma investigação.



Segurança nas escolas

Cabe aos pais e professores orientarem filhos e alunos a se protegerem corretamente, uma vez que é impossível estar com eles o tempo todo. O diálogo é essencial. Veja algumas recomendações:
- Evite que seu filho pequeno vá para a escola sozinho. A companhia de um adulto é sempre necessária.
- Quando for levar seu filho à escola entregue-o somente ao monitor da escola na entrada. Caso utilize de serviço de transporte, informe-se muito bem sobre o condutor, pegando informações com outros pais e professores da escola.
- Sempre oriente seu filho a andar em grupo em qualquer trajeto e longas caminhadas. Nunca andar sozinho em locais isolados próximos à escola.

- Toda criança deve saber seu endereço, telefone, nome dos pais, ou responsáveis, ou de quem vai buscá-la na escola.


Segurança no carro


Lugar de criança é no banco de trás e na cadeirinha.

A Resolução nº 277, de 28 de maio de 2008, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), conhecida como Lei da Cadeirinha obriga o uso de dispositivos de retenção para o transporte de crianças em veículos. De acordo com a medida, crianças até 12 meses devem ser transportados no bebê-conforto. De um a quatro anos, devem viajar em cadeirinhas. Já entre quatro e sete anos e meio, o ideal é que utilizem o booster -- assento elevatório. O cinto de segurança do veículo deverá ser usado por aquelas com idade superior a sete anos e meio e igual ou inferior a 10 anos. O descumprimento da norma prevê multa gravíssima de R$ 191,54, além da perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e retenção do veículo até que o assento seja colocado.

A importância da cadeirinha está demonstrada nas estatísticas. De setembro de 2009 a agosto de 2010, o Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde notificou a morte de 296 crianças nessa faixa etária. Entre setembro de 2010  e agosto de 2011, o número caiu para 227. Houve queda de 15% em comparação a média dos cinco anos anteriores.



(Publicado no Jornal Vitrine Lageana - semana 04 a 10/07/2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário