Sou o que sou!

Minha foto
Sou assim, fazer o que! Injeção também não é bom mas cura!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

As drogas e seus efeitos maléficos



 
As drogas são substâncias naturais ou sintéticas que possuem a capacidade de alterar o funcionamento do organismo, estando divididas em dois grandes grupos, lícitas e ilícitas, de acordo com critério utilizado do ponto de vista legal, na sua comercialização.

As drogas lícitas podem ser comercializadas, pois podemos comprar livremente, e pagamos impostos pelo seu consumo. Elas são aceitas pela sociedade, ficando a critério de cada um o seu uso ou não.

No Brasil, bebidas alcoólicas e cigarro, não consideradas drogas lícitas por não causar a dependência do usuário, mas podem afetar o organismo. Assim são comercializadas livremente, mas não podem ser vendidas para menores de 18 anos.
Essa proibição esta na Lei Federal nº 8069/1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente) em seu artigo 81, II e artigo 243 que diz: “Vender, fornecer ainda que gratuitamente, ministrar ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente, sem justa causa, produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, ainda que por utilização indevida é crime com  pena - detenção de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave”
Ainda de forma lícita, existe o consumo de medicamentos controlados, que só podem ser vendidos com receita médica, e que causam dependência como qualquer outra droga ilícita. Comumente chamadas de pílulas da felicidade, são usadas para combater os males dos tempos modernos como: controlar a obesidade, enfrentar a depressão, derrubar o estresse, etc. São as chamadas drogas psicotrópicas: tranquilizantes ou calmantes (ansíoliticos), indutores do sono (hipnóticos ou soníferos), anfetaminas e derivados, moderadores de apetite (anorexígenos), alguns medicamentos contra dor derivados do ópio, bem como remédios analgésicos, antinflamatórios, antialérgicos, antitussígenos e antiespasmódicos.

O uso abusivo dos medicamentos controlados cresceu tão rapidamente no mundo todo que o número de viciados em medicamentos superou o número de usuários de cocaína, heroína e ecstasy juntos.
"As pessoas tendem a achar que o uso abusivo dos medicamentos prescritos é apenas um uso inadequado de substâncias para tratar problemas de saúde Mas esses incidentes são frequentemente resultado de um vício que pode ser tão letal como a dependência de drogas como a heroína ou a cocaína", diz um documento divulgado pela ONU.
 É importante ressaltar que não é pelo fato de serem lícitas que as drogas não sejam prejudiciais à saúde. Segundo a Organização Mundial de Saúde, as drogas ilícitas respondem por 0.8% dos problemas de saúde em todo mundo, enquanto o cigarro e o álcool, juntos, são responsáveis por 8,1% desses problemas.
O alcoolismo é e deve ser tratado como uma doença. Trata-se de uma patologia crônica, caracterizada pelo consumo incontrolado de bebidas alcoólicas, o que acaba interferindo na saúde física e mental do indivíduo, trazendo drásticas consequências para sua vida social, familiar e profissional.

A dependência do álcool pode desenvolver-se num prazo de cinco a 25 anos, podendo ocasionar falta de memória, ansiedade, diminuição da capacidade de concentração e julgamento crítico.

Consumido em grande quantidade, o álcool provoca intoxicação e até envenenamento, podendo levar ao coma alcoólico e à morte.

As drogas ilícitas não podem ser comercializadas e muito menos consumidas, são proibidas por lei. As mais comuns são a cocaína, a maconha, o crack, o oxi e a heroína.

A cocaína, o crack, por exemplo, são drogas psicoativas que provocam alterações cerebrais muito importantes. Aspirada, fumada ou injetada na veia, a cocaína se distribui pelo corpo e age em todo o organismo, mas sua ação no cérebro é responsável pelo efeito que provoca dependência. Os efeitos provocados pelo uso desta droga incluem: euforia, agressividade, aumento dos batimentos cardíacos, dilatação das pupilas, tremores, predisposição às convulsões e ataque cardíaco.

O crack é a pasta básica da cocaína e recebeu este nome porque a mistura leva ao aspecto de pedras de cocaína (rocks) que são quebradas (crack) para então serem expostas a altas temperaturas e se volatizarem sendo então fumadas. Por ser uma droga que se evapora com facilidade, o crack atinge rapidamente o sistema nervoso central levando seu usuário a quadros mais graves de intoxicação aguda e dependência.

O oxi é uma das mais novas e devastadoras drogas encontrada no mundo das substãncias ilícitas. Feito a partir dos restos do refino da cocaína. Preparada com querosene e cal, a nova droga torna-se mais barata, tem menor efeito de duração e, por isso, é mais agressiva e vicia mais rápido. Querosene e cal virgem são substâncias corrosivas e extremamente tóxicas. Por isso, o consumo do oxi pode levar à morte mais rápido que o crack  no qual o que é realmente nocivo é o princípio ativo da droga.

É bom lembrar que existem outras complicações muito graves provocadas pelo uso de drogas injetáveis, tais como: AIDS, sífilis, hepatite dentre outras. Além disso, as drogas estão sendo comercializadas adulteradas com talcos, pó de broca e outras substâncias que provocam outros efeitos tóxicos.

Hoje, existem várias propostas de tratamento para o consumo de cocaína, crack e oxi, mas os mais atuais incluem medicamento que visam diminuir o desejo de busca pela droga além de tratamento psicológico e suporte familiar muito importante na abordagem destas dependências químicas.

As drogas são os maiores e mais lastimáveis de todos os flagelos que a humanidade tem noticia, que afeta o homem já na vida intrauterina, quando os pais já são viciados. As drogas vêm atacando o homem em todas as idades sob os mais diversos aspectos, penetrando em todos os segmentos da sociedade, em todos os países do mundo.

Cremos que o maior mal provocado pelas drogas seja o MAL SOCIAL; Nesse contexto, entende-se que a droga, em sua ação danosa, não tem limites pois não respeita a nenhum regra social e nem se submete aos poderes do Estado. Ao contrário, exerce seu poder em todas as esferas governamentais. Cria, impõe e executa suas próprias “leis”, abalando a estrutura política à medida que afronta o poder público criando um verdadeiro “poder paralelo”, provocando um sentimento de impunidade e insegurança.

Este mal é de tamanha gravidade porque leva a destruição de muitas famílias, causando verdadeiros horrores na sociedade, como a miséria, os conflitos familiares e outros, que corroem as estruturas sociais, destroem os princípios e valores do Ser Humano, desencadeando condutas ilícitas e, por conseguinte o aumento da violência e da intranquilidade.


As drogas se autoestimulam em sua propagação, criando um efeito de aumento natural do consumo e por consequência do tráfico.

De fato, onde houver um viciado, haverá um traficante. Onde houver um traficante, haverá um serviço de aliciamento acobertado pela ineficiência ou omissão do Poder Público, ou até mesmo pela corrupção. Onde houver corrupção, haverá um subpoder, um subgoverno.

Um dos motivos que levam as pessoas a utilizarem as drogas é a desinformação. A desinformação, que desencadeia vários fatores que afetam diariamente nossa sociedade.

Em minhas próximas publicações passarei a abordar as medidas de prevenção ao uso de drogas e as várias formas de identificar um usuário de drogas. Portanto, não deixem de ler as próximas edições.

(Publicado no Jornal Vitrine Lageana em 15/03/13)

Nenhum comentário:

Postar um comentário